Transporte escolar deixa alunos a pé no Rio de Janeiro

A Comissão de Educação da Alerj realizou nesta quarta- feira (12/08), uma audiência pública para discutir os problemas relacionados ao transporte escolar no estado e em diversos municípios.

Na ocasião, o coordenador de transporte escolar da Secretaria de Estado de Educação, Márcio Pimentel, informou que a demanda de alunos rurais a serem transportados no estado é de cerca de 30 mil alunos, dos quais, apenas 15.500 será transportado pelo governo em 2009.
 

Não há um programa formal do governo estadual para ajudar os municípios. O orçamento de manutenção (drible para viabilizar esse transporte) vai crescer para 20 milhões de reais em 2010. A presença da UNDIME (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação) tem sido importante porque traz o relato das dificuldades das secretarias municipais. O município de Campos, por exemplo, gasta R$ 3,2 milhões ao ano com transporte estudantil, mas recebe apenas R$ 420 mil de repasse federal pelo programa do FNDE.

O tema da segurança desse transporte tão informal também foi motivo de muita preocupação na audiência. Fazendo o cálculo de 16 mil alunos, por nove meses, por 22 dias letivos no mês, para um custo de R$ 20 milhões, o custo per capita é barato, mas indica precariedade nos veículos, ausência de seguro cobertor de acidentes, entre outros problemas.
Sérgio Câmara, superintendente de estrutura física da SEEDUC, informou que o governo planeja propor nova lei que não limite em 60 passagens a gratuidade dos estudantes. É uma tentativa de absorver, parcialmente, o discurso do direito da juventude à cidade e à cultura.

Comentários

imagem de Luiz Guarçoni

transporte escolar

Atençao das autoridades para o transporte escolar.

Necessitamos de respeito, ajuda na isençao de impostos, fiscalizaçao dos irregulares, pois fiscalizar os fiscalizados é covardia, campanha de consientizaçao para os pais e principalmente exigir responsabilidade dos diretores indicando aos pais um transporte escolar seguro e legalizado para os alunos de sua unidade.  

Abraços

Luiz Guarçoni

Presidente do SINTERJ - Sindicato das empresas de transporte escolar do Estado do Rio de janeiro.

Vote neste Comentário
imagem de preocupada com a educação

Fiscalizar urgente!

É muito impotante que o poder público compreenda a importancia de fiscalizar os transpostes escolares. A escola em que trabalho é repleta de vans superlotadas, sem acompanhante e etc. Está explícita na maioria das vans o descaso e a a precariedade na manunteção dos carros utilizados para esse fim. A escola é pública e muitos responsáveis se atentam mais ao preço do que a qualidade do serviço e apesar de alertamos aos pais, temos medo, pois além desses condutores nos desrespeitarem não cumprindo com o horário de entrada e saída e exigindo explicações sobre nossas cobranças e alertas frente aos reponsáveis, juntam-se na porta da escola para falar mal da instituição. Não haveria esse problema se a fiscalização realmente existisse ou o transporte dos alunos fosse proporcionada pelo próprio município.

Vote neste Comentário